IV CINTEDI
IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E V JORNADA CHILENA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Construindo diálogos na educação inclusiva: acessibilidade, diversidade e direitos humanos

Campina Grande - PB de 10 a 12 de junho de 2020
Submeta seu trabalho

Submeta seu trabalho na área do participante. Caso não tenha feito sua inscrição ainda, clique aqui.

Período de Submissão

Os trabalhos serão submetidos por sua área de participantes até a data: 01/05/2020

Módulo de submissão

Os trabalhos poderão ser enviados nas modalidades: Comunicação Oral e Pôster.

CONHEÇA NOSSAS ÁREAS TEMÁTICAS

 As áreas temáticas foram pensadas para fornecer ao participante as linhas de pesquisas mais importantes e inovadoras referentes ao eixo do evento!

Área Temática

A Educação Ambiental como uma dimensão da educação e atividade intencional da prática social, deve imprimir ao desenvolvimento individual um caráter social em sua relação com os bens naturais e com os outros seres humanos. Nesse sentido, ao promover o respeito à diversidade e a relação do ser humano com o ambiente e com os outros seres humanos, a Educação Ambiental se insere na perspectiva da Educação Inclusiva.
A presente AT tem como objetivo discutir, com os participantes, temáticas relacionadas às novas Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação-TDICs, na atual sociedade, também denominada Sociedade do Conhecimento, e seus desdobramentos para o exercício pleno da cidadania. Nesse sentido, pretende-se socializar preocupações comuns sobre a falta de acesso a essas novas tecnologias e que papel pode desempenhar a Educação no processo de Inclusão Digital. Inclusão esta que se torna fundamental para a democratização do conhecimento, do acesso e do uso de tais tecnologias que possibilitará o exercício pleno da cidadania.
Teorias de currículo. Políticas e diretrizes curriculares nacionais para a Educação Básica. Planejamento curricular. Temas culturais em educação. Formação docente. Propostas curriculares numa perspectiva de educação inclusiva.
Abordagem das necessidades educacionais especiais que exigem adaptações pedagógicas e socioculturais na escola. Possibilidades de diagnóstico e tratamento das dificuldades de aprendizagem. Atuação dos professores no enfrentamento às dificuldades de aprendizagem e ao fracasso escolar. Ferramentas facilitadoras do processo de inclusão.
Currículo e Práticas Pedagógicas na Educação Infantil. Os espaços e os tempos da infância em instituições escolares, domiciliares, e no espaço midiático. A infância e suas culturas. Políticas públicas e práticas inclusivas na Educação Infantil. O brincar e outras linguagens, enquanto ações que garantem o direito de Ser criança.
História da Educação Especial; A formação de professores para o Atendimento Educacional Especializado - AEE; Políticas Educacionais de acessibilidade. Desafios enfrentados pelos alunos com deficiência, transtornos globais de desenvolvimento e com altas habilidades na escola regular. O papel da família frente ao processo de inclusão escolar e social das pessoas com deficiência. Deficiência e Gênero.
Essa AT pretende recepcionar trabalhos que abordem a questão do aluno surdo em sala de aula; as possíveis dificuldades que este possa enfrentar quanto ao aprendizado do conteúdo ministrado; os desafios enfrentados pelos docentes para com esses alunos; como adaptar a metodologia de forma a atender eficazmente a esse tipo de aluno e qual a importância de fazê-lo sentir-se incluído no ambiente acadêmico. Também, abordaremos as questões do bilinguismo.
Esta área temática tenciona recepcionar propostas de pesquisas, estudos e reflexões de relatos de experiências em torno das relações raciais na perspectiva das temáticas africanas e afrobrasileira. Nossa proposta é discutir a partir de metodologias de ensino, livro didático, currículo escolar, políticas educacionais articuladas à formação docente na Educação Básica e na Educação Superior.
A presente AT tem como objetivo dialogar com educadores e alunos, futuros docentes, sobre as políticas educacionais no contexto do capitalismo atual, direcionadas à gestão do trabalho na escola e a formação docente.
Recebe trabalhos com relatos de experiências, pesquisas em andamento ou concluídas atreladas à educação escolar e não escolar, resultantes de projetos de extensão, pesquisa, grupos de estudos, envolvendo as temáticas: visão contemporânea da velhice/envelhecimento; biopolítica e envelhecimento (ações e discursos que se exerce sobre a pessoa idosa, visando à aquisição de modos de ser e agir socioculturalmente desejados); educação e aprendizagens ao longo da vida; linguagens, diálogo e socialização da pessoa idosa (lugares públicos, relacionamentos familiares e (inter)geracionais, interação cuidador-idoso(a)); educação e formação de atitudes de respeito às pessoas idosas; inclusão digital e envelhecimento.
Estudo do desenvolvimento integral do psiquismo humano e das contribuições da educação escolar para esse desenvolvimento. O significado do trabalho educativo para a formação dos indivíduos. O desenvolvimento das funções psicológicas superiores e sua importância para a teoria e prática pedagógicas.
A Educação Popular com propósitos de fomentar a discussões e construção de conhecimento ancorado na práxis educativa crítica. Tendo em vista o compromisso social da Educação, em especial sua contribuição com as possibilidades de emancipação humana nas relações com seu contexto sócio-histórico na sociedade contemporânea. Além de fundamentar trabalhos a serem desenvolvidos no ensino, na pesquisa e na extensão. Essa perspectiva contempla educação e sociedade, problemas da sociedade contemporânea, dimensão teórica e prática da Educação Popular, o pensamento de Paulo Freire, subjetividade e cultura, movimentos sociais, universidade popular, pesquisa e extensão popular.
A AT se propõe a acolher trabalhos frutos de pesquisas e de experiências pedagógicas que problematizem os seguintes temas: Inclusão em EJA; Educação Popular; Alfabetização e Letramento em EJA; Processos de Leitura e Escrita em EJA; Políticas Públicas Educacionais em EJA; Formação Docente, Práticas Educativas e Processos de Ensino-Aprendizagem em EJA; Currículo e EJA; Avaliação em EJA; Estudos Culturais em EJA; Didática em EJA.
A presente AT tem como objetivo refletir, com os participantes, temáticas relacionadas à leitura, escrita e literatura infantil identificadas no contexto escolar, como forma de socializar, tanto dificuldades e preocupações usuais pertinentes a prática pedagógica do (a)s professores(as), como práticas comprometidas com a qualidade do ensino. Destina-se a professores e profissionais da Rede Pública e Particular de Ensino, Estudantes de Pedagogia e de outras licenciaturas interessadas na temática.
Embora, tenhamos uma quantidade significativa de pesquisas na área de Educação Inclusiva de um modo geral, há ainda muita timidez dessa na área de Ensino de Ciências e Educação Matemática, especialmente no Brasil. Nos programas de mestrado e doutorado desta última é muito raro encontrarmos pesquisas com foco em Educação Inclusiva. Todavia, aproximadamente nos últimos 5 anos, observamos um maior interesse dos pesquisadores brasileiros, doutores e candidatos a mestrado e doutorado, desse campo, em Educação Inclusiva, o que indica então boas perspectivas de futuro. Assim, nesse, GT, faremos um estado da arte da pesquisa brasileira em Educação Inclusiva na área de Ensino de Ciências e Educação Matemática, trazendo também o cenário internacional e apontando desafios e perspectiva de futuro, sendo bem-vindo pesquisas em andamento ou concluídas nessa temática.
O fenômeno religioso, nesta sociedade de “reencantamento do mundo”, se apresenta nos diversos ambientes sociais impulsionados pela pluralidade religiosa, por ação denominada “intolerância” e pelas práticas de educação inclusiva. Nessa perspectiva, esta AT se constitui com um espaço para receber trabalhos que proponham análise, discussões, reflexões, registro de experiências sobre o tema.
Esta AT se constitui com um espaço para receber trabalhos que proponham análise, discussões, reflexões, registro de experiências e de pesquisas sobre os seguintes temas: Fundamentos históricos e metodológicos da Educação do Campo. Movimentos Sociais e práticas em Educação do Campo. Educação do Campo e Política Pública. Formação docente para a Educação do Campo. Conhecimento e experiências em Educação Popular, Educação do Campo e Agroecologia.
A Área Temática História da Educação contempla a historicidade do fenômeno educativo na sociedade brasileira, os diferentes tempos e espaços da história da Pedagogia e da educação, as principais teorias e práticas educacionais desenvolvidas na história da humanidade e a importância na formação do educador. Aborda os marcos teóricos e metodológicos da pesquisa e da historiografia da educação tendo como campo de investigação as interfaces entre história da educação e outros campos do conhecimento, sobretudo, às reflexões em torno das relações entre educação, história, memória, cultura, cultura escolar e a sociedade brasileira contemporânea.
Esta AT objetiva abordar e analisar contribuições da psicologia à prática educativa. Se constitui num espaço para refletir a relação desenvolvimento e aprendizagem em trabalhos e pesquisas que abordem desenvolvimento do psiquismo, desenvolvimento cognitivo, desenvolvimento socioemocional, queixas escolares e sucesso escolar, bem como, Psicologia na atuação da educação inclusiva. Discute os limites e alcances no campo da psicologia escolar e educacional, na perspectiva da inclusão social de grupos e pessoas em situação de vulnerabilidade social e/ou com necessidades de atendimento especial para o desenvolvimento da escolarização tanto na educação básica como no ensino superior, bem como nas modalidades educacionais (Educação Especial, Educação Profissional e Educação a Distância) que compõem o Sistema Nacional de Ensino brasileiro, tanto em termos de pesquisas produzidas nesta área de conhecimento como em termos da atuação profissional.
A área temática Inclusão: gênero e práticas culturais tem como foco de discussão as práticas pedagógicas inclusivas no que tange as relações de gênero, a Pedagogia Feminista, a teoria queer, como forma de dar visibilidade aos sujeitos que ainda sofrem preconceitos por ser considerados diferentes ou estranhos aos padrões sociais, tradicionalmente elencados. Contempla as teorias e metodologias de pesquisa que viabilizam um viés de inclusão e convivência, na perspectiva da tolerância e respeito da educação básica ao Ensino Superior tendo como campo de investigação as práticas pedagógicas e curriculares inclusivas.
Compreender a espiritualidade enquanto dimensão do Ser. Refletir sobre as bases teórico-metodológicas da Educação Emocional e seus desdobramentos no cotidiano escolar e não-escolar. Refletir sobre a emoção como uma possibilidade para a espiritualidade. Analisar as experiências de Educação Emocional. Discutir a questão da formação docente em Educação Emocional. Compreender as relações entre Educação Emocional e Práticas Integrativas e Complementares. Compreender a relação saúde, Educação Emocional e espiritualidade. Examinar a Educação Emocional como instrumento de empoderamento de grupos populares e pessoas em situação de vulnerabilidade.
Inclusão do nordestino e sua espacialidade a partir da Literatura Brasileira. Identidades, Singularidades no construto da potencialidade e do devir Nordeste. Narrativas ficcionais e poéticas ambientadas no Nordeste. Inserção do debate regional no espaço escolar por meio da literatura brasileira e seus gêneros. Textos poéticos orais ou escritos que tematizam a Região Nordeste. Nordeste, preconceitos, estereótipos e suas modernidades. O conflito entre as dicções populares e eruditas da literatura nordestina.

IV CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA E V JORNADA CHILENA BRASILEIRA DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA

Construindo diálogos na educação inclusiva: acessibilidade, diversidade e direitos humanos

Facebook Instagram YouTube